Arquivo

Monthly Archives: Novembro 2012

“E numa dessas manhãs do começo de julho ele tira as meias e a camiseta, veste um bermudão de praia, pega a cachorra no colo e desce a escadinha de cimento até a pedra do Baú. O mar está encrespado mas as ondas estão fraquinhas. O sol forte ameniza um pouco o frio. Deixa Beta na beira da pedra e entra na água pisando com cuidado nos mariscos e algas ocultos sob a espuma. Ergue a cachorra de novo nos braços, entra um pouco mais fundo e mergulha no mar gelado. Ela mantém o olhar fixo adiante, perplexa com o banho inesperado. Nunca teve o hábito de entrar na água e muito menos no mar. As ondas a assustam. Começa a pedalar instintivamente com as patas dianteiras e um pouco também com as traseiras. Ele a incentiva e se mantém submerso até o pescoço por solidariedade, para passar tanto frio quanto ela. Assim que a cadela encontra um ritmo, ele a segura por baixo da barriga com uma das mãos e dá sustentação a seu corpo. Beta funga um pouco e espirra quando a água lhe atinge o focinho. São observados por um bando de abutres que em dado momento decolam agitando suas asas magníficas. São aves pavorosas no chão e lindas voando. Quando o frio fica difícil de aguentar ele acomoda a cachorra com firmeza debaixo do braço, sai da água, sobe a escadinha, entra em casa e a envolve com uma toalha. Depois lhe dá um banho no chuveiro quente e a seca com paciência e cuidado. Esquenta um pouco de sopa numa panela pequena tomando o cuidado de separar uns bons pedaços de carne e serve na vasilha de água para que ela coma. Passa a fazer isso todo dia, mesmo quando chove.”

GALERA, Daniel. Barba ensopada de sangue. São Paulo: Companhia das Letras, 2012. pp. 239-240

antes da estréia de django unchained, assistirei os sete principais filmes do tarantino, a saber:

1. reservoir dogs (1992)

2. pulp fiction (1994)

3. jackie brown (1997)

4. kill bill vol I (2003)

5. kill bill vol. II (2004)

6. death proof (2007)

7. inglorious basterds (2009)

 

ficaram de fora os filmes:

1. love birds in bondage (1983)

2. my best friend’s birthday (short) (1987)

3. true romance (1993)

4. natural born killers (1994)

5. four rooms (segment “the man from hollywood”) (1995)

6. dance me to the end of love (short) (1995)

7. from dusk till dawn (1996)

8. curdled (1996)

1. estava sentada na cantina da faculdade minding my own business quando um grupo de meninas de 16-17 anos, usando uniforme escolar, me abordou perguntando se eu poderia fazer uma entrevista. não estava fazendo nada mesmo, concordei. elas perguntaram se poderiam tirar fotos e me filmar. neguei. não sei o motivo de ter negado. elas ficaram um pouco desapontadas, mas continuaram. pedi para que elas se sentassem comigo. elas fizeram aquela cara de ‘estou sentada na cantina da faculdade que quero estudar, conversando com uma universitária. sou gente grande. yay’.

achei engraçada as perguntas que elas fizeram. a primeira foi: “como é estudar aqui?”. primeiro ri e depois pedi para elas serem um pouco mais específicas. elas não entendiam que a pergunta era genérica demais: ‘ah, aqui.’ respondi alguma coisa que não me lembro mais. a segunda era sobre o espaço físico do campus. depois sobre o sistema de cotas. se eu acreditava que existiam estereótipos na universidade, se eu sabia o que eu seria depois de formar. mas a melhor foi a última pergunta. elas estavam se esquecendo dela. já tinham me agradecido, levantado da mesa, mas uma delas se lembrou e voltou atrás:

‘você acredita que vai mudar o mundo?’

eu fiquei uns segundos rindo: ‘não. não mesmo.’

2. no feriado fui almoçar com uns amigos. já no segundo ônibus que eu tinha tomado naquele dia (em um total de quatro), estava ouvindo minha música, quieta, no engarrafamento. de repente olho para janela e um cavalo estirado no chão. ele era branco, aparentemente saudável e não tinha nenhum ferimento. os olhos estavam entreabertos e o asfalto perto dele estava molhado, aparentemente de urina. estava morto. várias pessoas ao redor, olhando, sem fazer nada. logo mais a frente, o ônibus que o tinha atropelado, parado.

3. depois de um almoço estranhíssimo essa semana, paguei minha conta e fui olhar através da porta de vidro, para o gramado. perto dos meus pés, um pardal que tinha acabado de morrer, com o peito para cima e a cabeça de lado, de olhos fechados.

4. desci do ônibus e estava chovendo muito. o ponto de ônibus lotado de gente, sem nenhum abrigo. saí atravessando a avenida. o guarda-chuva não fazia muita diferença. entrei ensopada em uma loja de departamento. sentei sobre uma pilha de tapetes, tirei meus sapatos que estavam cheios de água. um homem ao meu lado, não era nem dez anos mais velho que eu, conversava com o amigo. falava dos dois carros que tinha (um era muito duro e não era bom para andar na cidade), da casa com quintal e do casamento que aconteceria ano que vem.