intercâmbio.

Quem me conhece minimamente sabe que há anos eu nutro o desejo de fazer um intercâmbio. Talvez lá com os meus 13,14 anos isso começou, com a vontade de ir para França no meu aniversário de 15 anos. Claro que não deu certo e eu não fiz nada para que isso acontecesse. Só me lamentei mesmo, mas ainda assim minha vontade era genuína e resolvi começar um curso de francês. Deu errado também. A escola mais próxima da minha casa era péssima e com 14 anos não dava para eu ficar me deslocando para outra cidade com muita frequência, sozinha. Na verdade, nem sei de onde surgiu esse negócio da França. Só sei que eu queria porque queria ir, achava (e ainda acho) a língua incrível e enxergava o lugar como se fosse fantástico.

Ok, miou o francês, mas comecei a estudar inglês com 15 anos. Eu já sabia que gostava de inglês e fez muito sentido começar a estudar a língua formalmente. Comecei do inicinho mesmo e me lembro de achar graça de mim mesma, por nunca ter começado aquilo antes. E convenhamos que estudar inglês, com todo o estímulo que a gente recebe com música, filme, seriado, é bem mais tranquilo. Sempre gostei mais e conheço mais a cultura americana, mas, não sei de onde, surgiu um vontade inexplicável de conhecer a Inglaterra. Meus motivos sempre foram babacas (o sotaque? o cenário musical inglês? os pontos turísticos?), mas a aura inglesa me encanta – e eu sei lá o que isso significa. Todas as minhas grandes decisões foram motivadas por esse certo encanto sem propósito que sentia por determinado objeto, nunca por razões estruturadas e óbvias. Acho que com todo mundo é assim, né?

Em 2009 entrei para a Letras (minha habilitação é português/bacharelado com ênfase nos estudos literários) e lá no meu terceiro período comecei a me envolver com a literatura portuguesa. Inclusive entrei para um grupo de estudos de poesia moderna e contemporânea e nasceu de novo o faniquito de viajar para fora, só que agora para Portugal. Queria fazer um intercâmbio estudantil, pela minha universidade e estudar na Universidade do Porto. Em 2010, tinha a ideia fixa que queria fazer monografia sobre a escritora portuguesa Teresa Veiga e perguntei para coordenadora do meu grupo quais eram os contatos de lá. Com a cara e com a coragem, mandei e-mails para os professores de lá, perguntando se eles me orientariam de alguma forma etc. 85% responderam positivamente, mas quem disse que eu passei pelo processo seletivo? Saí da entrevista achando que a vaga já era minha, mas… Nada.

Em 2011 tentei de novo, de novo pela Universidade do Porto, e agora eu estava muito mais envolvida com os estudos portugueses, tinha um currículo mais rechonchudo, estava confiante e… Nada. Por um décimo não passei. A maioria disse que eu não consegui por ser muito tímida e que os avaliadores olhavam se a pessoa não ficaria presa lá, ao invés de fazer amigos e cumprir certo dever diplomático. Ok, tudo bem.

Depois pensei: vamos voltar de onde você começou e onde só depende de você (e do dinheiro do seu pai, haha) para viajar: Londres. Fiquei um tempo perseguindo brochures de escolas de línguas de lá, mas todos os cursos caíam no meu período de aulas. Até que no final desse ano, eu entendi que eu não perderia nada em dar um pause na minha vida para realizar isso. Era para eu estar me formando no final de 2012, mas a vida acontece, né, e não vai ser possível que eu feche a graduação no tempo previsto. E eu estou confortável com essa decisão. A ideia seria me formar na metade de 2013, mas pensei que seria mais prudente fazer um intercâmbio antes de me formar, antes de trabalhar mais e mais, antes de tentar o mestrado. Só me resta trancar o primeiro semestre desse ano e terminar o curso no final de 2013. Pois bem. Olhando com meus pais, com agências de viagens, conversando com amigos, acabou que dessa vez vai rolar mesmo o tal do intercâmbio. Acho que até agora não estou entendendo muito bem que isso está acontecendo, porque anseio por isso há muito tempo. Mas está. Enfim, depois devo postar mais coisas sobre como está funcionando esse processo e gostaria de saber de vocês, leitores, dicas de viagens, o que fazer e o que não fazer etc.

Anúncios
4 comments
  1. Lusa said:

    Olá! Sou portuguesa e também vou morar para Londres este ano. Já só faltam 2 semanas pa ir! 🙂
    Já lá estive 3 vezes e é realmente uma cidade mágica! Adoro!
    As minhas razões são um pouco diferentes, não vou para estudar, mas sim para procurar trabalho. Desejo toda a sorte do mundo neste intercâmbio. Quem sabe não nos cruzamos? 🙂

    • Nossa, está bem perto mesmo! Então você vai morar lá por mais tempo, né? Bem legal. Por que resolveu se mudar para Londres?
      Sim! Quem sabe. 😉
      Beijos

  2. Lusa said:

    Oi. Sim, está mesmo quase, e espero que corra bem o suficiente para ficar por lá! 🙂
    Aqui em Portugal está muito mau, não trabalho há já uns meses, por isso porque não experimentar?!
    Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: