respondendo às perguntas – parte IV.

Olás. Hoje responderei a mais perguntas. Na verdade, apenas uma pergunta, mas que acredito ser uma preocupação grande de quem vai estudar fora e por isso resolvi dedicar um texto maior nisso. Agradeço a todos que estão mandando as perguntas, porque isso me ajuda a direcionar melhor os posts e a escrever textos mais informativos. Continuem mandando perguntas, por favor! Adoro o que vocês escrevem.

1. Casa de família ou residência estudantil?

Na verdade existem três tipos de acomodações diferentes. A homestay (casa de família), halls of residence (residência estudantil) e a shared house (casa dividida entre estudantes). Todas essas acomodações têm suas vantagens e desvantagens.

1.1 Shared house

A vantagem de se morar nessas casas começa pelo preço. Parece-me que é o tipo mais barato (na minha escola, custava entre £120 a £150 por semana). Nessas casas (são casas normais) moram pelo menos cinco estudantes. Você pode escolher entre quartos individuais e para dividir com mais uma pessoa. Acredito que não tenha a opção do banheiro privativo. A sala e a cozinha são divididas entre todos, então o lance de se morar nesse tipo de lugar é interagir com outros estudantes, de outras culturas. Conheci pessoas que moraram nessas casas e às vezes eles cozinhavam juntos, cada um cozinhava um prato típico do seu país a cada noite e me parecia ser bem divertido.

A desvantagem? Às vezes é interativo até demais. Para pessoas mais independentes, que precisam do seu espaço e não aguentam o barulho de outros cinco, dez estudantes barulhentos, essa não é a melhor ideia.

1.2 Halls of residence

Essa é a opção mais cara entre todas as três. Inicialmente, eu gostaria de ter ficado nesse tipo de acomodação, mas quando vi o preço, mudei de ideia. Custa entre £225 a £350 por semana, dependendo do tipo de acomodação que você vai ficar.

A vantagem? A maioria dessas acomodações ficam na Zona 1. Existe a opção da acomodação que você tem só seu quarto com banheiro e divide uma cozinha a cada número x de estudantes. E existe a opção que seu quarto tem sua própria cozinha. Ou seja, quem é mais independente, não quer ficar esbarrando com outras pessoas quando estiver em casa, preza pelo próprio espaço e quer ter mais autonomia, essa é a solução.

A desvantagem é que pode ser bem solitário e tem gente que não dá conta disso. Quem não é acostumado a fazer limpeza, cozinhar, lavar sua própria roupa também passa um pouco de aperto. Tem gente que ama isso, mas conheci amigos que ficavam o dia fora ou dormiam na casa de outras pessoas porque às vezes a solidão incomodava. Para essas pessoas, sairá ainda mais caro porque vão comer só em restaurantes ao invés de cozinhar para eles mesmos, por exemplo.

1.3 Homestay

Depois de cair para trás com o preço da residência estudantil, minha opção foi morar numa homestay por ser bem mais barato (entre £150 a £280 por semana). A vantagem de se morar numa homestay é que se na residência você tem que se virar e fazer tudo sozinho, na homestay você não faz nada. É vida de dondoca mesmo. Não precisa cozinhar, não precisa lavar sua própria roupa, não precisa fazer faxina no quarto (só mantê-lo organizado), não precisa lavar sua louça: a sua host fará tudo para você. Você terá a opção de comer apenas o café da manhã na casa, jantar quatro vezes por semana ou todos os dias da semana. Inicialmente eu escolhi apenas bed and breakfast, mas no primeiro dia me precipitei e resolvi pagar pelos quatro dias de jantar. Foi bom porque eu aumentei o contato com a família, conversava com a host na hora do jantar e isso me deixou muito mais próxima à host e ao modo de vida britânico. E era um saco porque eu tinha que estar em casa pontualmente às 18h, quando queria jantar fora ou sair com os meus amigos. Claro que eu poderia cancelar o jantar, mas eu evitava fazer isso para não gastar dobrado.

Aliás, isso de vivenciar o modo de vida britânico com a host family, participar da vida da família, está acontecendo cada vez menos. Os estudantes não estão muito interessados nisso mais, querem mais independência e menos contato com a família (alguns saíram de seus países justamente para fugir de pai e mãe) e os hosts não têm tanta paciência mais. A maioria trabalha, tem filhos e não tem tempo para ficar alisando os estudantes. E outros hosts simplesmente perderam a paciência, porque a rotatividade de alunos é muito alta. A cada semana chega um intercambista diferente na casa, então a curiosidade, a vontade de saber desses alunos e de ajudá-los, vai caindo. Eu lembro que até eu mesma, lá pelo finalzinho da minha estadia, ficava meio de saco cheio quando aparecia aluno novo e tinha que começar aquelas mesmas conversinhas. Mas apesar disso tudo estar mudando, eu e meus hosts ficamos muito próximos e eu não me arrependo em momento algum de ter ficado naquela casa. Todo café da manhã eu tomava conversando com meu host, às vezes acompanhava a host no supermercado, a gente saia para tomar sorvete ou café, conversávamos muito. Foi muito mais que aprender sobre a cultura britânica (que eu acabei aprendendo bastante), mas acabamos ficando muito próximos. Mas eu dei sorte porque isso não é tão comum mais. Então, se você achava que assistiria tv todos os dias com seus hosts, que eles conversariam com você o dia todo, que te contariam como é a vida deles, pode tirar o cavalinho da chuva. O contato ainda existe, mas de maneira mais restrita e pontual, normalmente no momento das refeições.

A desvantagem de se morar na casa de família é que… Bom, é a casa de uma pessoa e você tem que respeitar o espaço do outro. Na minha casa, eu não podia levar comida, não podia cozinhar. A comida era só o que a host me dava. Ela lotava o meu prato de comida, às vezes com pratos mais apimentados que eu estava acostumada, mas né.. Como eu como até pedra, não ligava. Tinha a questão do horário do jantar, como eu disse antes. Outra coisa era o chuveiro do meu andar da casa era muito barulhento, então eu não podia tomar banho na hora que eu bem entendesse porque senão acordaria todo mundo. Fora de questão tomar banho às 7h para dar aquela acordada. Se você é uma pessoa barulhenta, que quer fazer tudo na hora que bem entender e tem problemas com regras, não vá para uma homestay. Porque existem várias regras, horários a serem cumpridos (o café da manhã fica na mesa até certo horário, por exemplo). É bom para quem gosta de mamata e para quem não gosta da solidão. Se você for maior de 18 anos, você não tem horário para chegar em casa. Os seus hosts vão te dar a chave da casa e você chega no horário que bem entender, trêbado ou não. Tem host escroto que não entrega a chave para o aluno, mas isso é uma exceção. Se isso acontecer, reclame na sua escola.

Outra coisa bastante importante: preste bastante atenção na hora de escolher sua família, se eles têm filhos ou não e se têm animais. Eu escolhi uma casa sem crianças e com animais, porque eu sinto falta de companhia de bichos. E avise a eles se você tem algum tipo de restrição alimentar. No mais acho que é só.

Para enviarem mais perguntas, clique aqui.

Para quem ainda não leu, respondendo às perguntas parte I, parte II e parte III.

Anúncios
1 comment
  1. Parabéns pelo blog, continua muito bom!! Quando eu morei em Londres eu dividia uma casa com outras pessoas e tinha o meu quarto separado, às vezes era chato porque os outros moradores eram bem esquisitos, e quando fui pra Malvern fiquei em uma casa de família britânica e realmente eles não tem muita paciência com estrangeiros! Continue com os relatos estão ótimos! Beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: