um guia para estudar bem estudadinho.

Como disse no post anterior, estou estudando para um exame e estou dando aulas de inglês de preparação para outros exames. E preparando e dando essas aulas, percebi como tem coisas que eu ensino e cobro dos meus alunos, que não tenho feito na minha vida. Seguem então algumas dicas para quem quer estudar, seja para um exame, seja para os estudos do dia a dia da faculdade. Tirei essas dicas dos livros que utilizo nas aulas e de alguns sites. Vamos ver se eu também consigo aplicar essas dicas na minha vida.

1. Saber quais são seus pontos fortes.

Você não precisa se dedicar tão detidamente em coisas que você já conhece. Se você tem pouco tempo, melhor se focar nos pontos que têm dificuldade e não no que você já domina. Além disso, saber do que você é capaz, quais são suas facilidades, dão um gás a mais na hora do estudo.

2. Identificar qual é o seu estilo de estudo.

Algumas pessoas são mais visuais e precisam fazer mind maps para estudar; tem gente que precisa de tudo explicadinho nos mínimos detalhes, sem desenhos, sem esquemas, apenas blocos de texto com exemplos e definições; tem gente que precisa ouvir as explicações de uma outra pessoa; tem gente que precisa colocar tudo que está aprendendo em prática. Encontrei esse questionário para que cada um saiba qual é seu modo de estudar: http://www.vark-learn.com/english/page.asp?p=questionnaire

3. Auto-motivação. Como evitar que os estudos fiquem entediantes? Como posso me manter motivado?

Cada um vai encontrar o seu jeito de se manter motivado. Eu, por exemplo, preciso ver que estou trabalhando e seguindo em frente. Em uma folha de papel, eu desenho um calendário e em cada dia tenho que escrever o que fiz, de maneira bem simples. Exemplo: Li um capítulo do livro x; corrigi as redações dos alunos. Isso funciona porque você não quer quebrar seu esquema e se obriga a fazer coisas todos os dias. Ninguém quer ver um quadradinho em branco. Tenho uma amiga que faz um diário de estudo bem descritivo, porque ela vê como começou os estudos e como vai avançando diariamente. A motivação vem, acredito, quando você sente que está caminhando e avançando.

3. Traçar objetivos. O que eu consegui até agora? O que eu preciso atingir? Quais são as prioridades? Como posso dividir meus objetivos a longo prazo em objetivos a curto prazo? Como vou saber que atinge meus objetivos de curto prazo? Como fazer para que meus objetivos não sejam muito difíceis, nem fáceis demais? Meus objetivos são acessíveis?

Você precisa estabelecer uma meta. O que você quer? Passar em uma prova? Fazer um trabalho da faculdade? Escrever um artigo de Iniciação científica? Escrever uma monografia? Escrever um projeto? Tudo parece muito inalcançável se você pensa nesses termos: Preciso escrever minha monografia inteira. Você não consegue nem visualizar como começar, qual é o ponto de partida e o que fazer depois.

Então, depois de estabelecer o seu principal objetivo e saber qual é o prazo final para você fazer isso, você precisa estabelecer subdivisões de objetivos alcançáveis. Alcançáveis, eu repito. Não adianta você se obrigar a ler um livro inteiro em um dia porque isso é impossível e você só ficará mais e mais frustrado porque não conseguiu cumprir sua meta diária. Eu ainda tenho problemas para conseguir marcar o que eu dou conta ou não de fazer. Tem gente que faz cronogramas semanais, tem gente que faz um cronograma a cada dia. Para mim, tenho percebido que eu preciso estabelecer o que fazer apenas na hora. E o que funciona mesmo é o tal do calendário motivacional. E, de tempos em tempos, faço um balanço do que já fiz, do quanto ainda falta para fazer e de quanto tempo eu tenho. Talvez eu precise bolar algo mais sistemático.

De qualquer maneira, é muito mais tranquilo marcar que hoje você tem que ler um artigo, do que você se repetir que deve escrever uma monografia inteira. Portanto, saiba quais são os passos para atingir o objetivo maior e seja proativo. Faça todo dia um pouquinho para não perder o ritmo. E pense sempre no presente: o que eu tenho que fazer hoje, ao invés de pensar no objetivo final, que está lá na frente no futuro.

4. Planejar um cronograma de estudos.

Na nossa vida, nós não temos todo o tempo disponível apenas para alcançar esse objetivo maior. Trabalhamos, estudamos, cuidamos da casa, temos amigos, namorados, precisamos descansar. Precisamos, forçosamente, encaixar os estudos na rotina diária. Então, precisamos estabelecer um cronograma diário, semanal, mensal. Faça um calendário da semana e marque quais são os horários que você pode estudar. E realmente estude nesses horários. Você verá como as horas do seu dia vão se multiplicar quando conseguir registrar quais são seus horários livres e seus compromissos fixos. Lembre-se sempre de reservar tempo para diversão e descanso.

5. Avaliar seu progresso nos estudos. Como eu posso me mostrar que estou aprendendo algo?

Semanalmente, pare um pouquinho e olhe o quanto você já progrediu. Você pode ver isso facilmente se fizer um calendário ou um diário de estudo. Você pode fazer uma lista de textos lidos e não lidos. Qualquer coisa que te mostre efetivamente o que tem sido feito e o que ainda há por fazer. Dê-se um tapinha no ombro, um prêmio. Tem gente que funciona com prêmios, né. Você pode se dar um sapato, uma refeição em um restaurante que gosta depois que alcançar um objetivo mais difícil. Qualquer coisa que te motive.

6. Criar um ambiente de estudos. Que momento do dia eu me sinto mais animado para estudar? Como eu lido com distrações? Como criar um ambiente ideal para o meu estilo de estudo? 

Isso é bastante pessoal. Por exemplo, eu funciono melhor na parte da manhã. Depois do almoço consigo fazer coisas que não exigem tanto de mim e à noite não tenho concentração de estudo. Não consigo também estudar em casa. Me distraio facilmente, minha casa é bem escura e minha rua é muito barulhenta. Ou seja, funciono melhor em bibliotecas. Eu não lido bem com distrações também. Se fizer um barulhinho do meu lado, eu já fico louca. Então preciso ir para a área mais isolada da biblioteca.

Tem gente que não é assim. Tem gente que só consegue estudar em casa, porque se sente mais relaxado. Tem gente que precisa de algum barulhinho de fundo para se manter acordado. Tem gente que precisa estudar sempre conversando. Tem gente que precisa intercalar os estudos com outras leituras aleatórias. Você é quem sabe qual é seu estilo.

7. No mais, dormir bem, comer bem, exercitar-se.

É impressionante como coisas tão bobas e prosaicas como essas dão um bem estar sem tamanho para a pessoa – ainda que eu não consegui cumprir a parte do exercício físico até o presente momento. Vejo gente na faculdade virando a noite fazendo trabalho. Ou essas pessoas são muito ocupadas ou ainda mais desorganizadas que eu. Porque não tem lógica para mim perder uma noite de sono preciosa para fazer o trabalho que você já deveria ter feito.

E vocês, tem alguma dica para estudar bem? Se eu souber de mais alguma coisa nova, escrevo por aqui.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: